segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Não era o Vasco em campo

Pela 15ª rodada do Campeonato Brasileiro, o Vasco foi derrotado pelo Botafogo por 4x0, no Engenhão. Com uma atuação apática, a pior na temporada 2011, o cruzmaltino foi totalmente dominado pelo adversário. O resultado manteve o time na 4ª posição, agora a 6 pontos da liderança. O próximo desafio pela competição nacional é o Palmeiras, no próximo domingo em São Januário. Na 5ª feira, temos a estréia na Sul-Americana, também contra o Alviverde paulista.

Esqueçam aquele Vasco com uma defesa sólida, marcação forte, com garra e força ofensiva. Esqueçam aquele Vasco campeão da Copa do Brasil, invicto há seis jogos e com boas atuações. Os jogadores ontem eram os mesmos, a camisa também, mas o futebol...quanta diferença. Se eu não tivesse visto com meus próprios olhos, duvidaria de uma atuação tão medíocre.

O pontapé inicial do grande Zagallo inspirou apenas o time botafoguense. Os minutos iniciais foram de amplo domínio alvinegro e podemos dizer que o gol de Antônio Carlos, aos 10, foi até tardio, tamanha a diferença de desempenho entre os times.

E foi preciso sofrer um gol para que o Vasco acordasse. O time passou a ter mais a bola e criar algumas chances de gol. Porém aos 27, Cortês (melhor em campo) fez grande jogada, tocou para Herrera, que chutou, Prass defendeu e Loco Abreu marcou no rebote. Uma ducha de água fria na reação vascaína.

Anestesiado, o Vasco parou em campo e viu o Botafogo ampliar aos 40, novamente com Abreu. A jogada foi em cima de Márcio Careca, pior em campo. Alecsandro também foi muito vaiado e perseguido pela torcida, que pedia a Élton.

No intervalo, Ricardo Gomes sacou Careca para entrada do ídolo Juninho e deslocou Jumar para a lateral esquerda. Aliás, nosso treinador teima em usar o péssimo camisa 32. Que essa péssimo resultado sirva para encerrar a carreira de Márcio Careca como jogador do Vasco.

E se no segundo tempo o Vasco foi menos bisonho, também não teve força alguma para lutar pelo resultado. Pelo contrário, as melhores chances foram alvinegras, sempre com Loco Abreu e participação especial de Cortês e Renato. Do lado do Vasco só chamou a atenção a expulsão infantil de Diego Souza.

O gol de Herrera, nos acréscimos, fez justiça à imensa superioridade botafoguense. Definiu também o clássico Vasco x Botafogo como o Clássico dos resultados improváveis, das goleadas inesperadas.

Sabemos que todo resultado dessa magnitude serve como um divisor de águas, tanto para quem vence quanto para quem perde. Que fique a lição pra os próximos jogos e o Vasco volte a mostrar a força de quem luta pelo título, não somente o Brasileiro, mas principalmente da Sul-Americana.

Charge: Beto_Gomes


Sds vascaínas a todos!

Um comentário:

marcoaum disse...

Olá,
Gostaria de fazer uma parceria com o seu blog. Troca de links.
http://ovascaino.wordpress.com