segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Um atuação perfeita

Não poderia existir dia melhor para meu retorno às postagens. Seria no sábado à noite ou no domingo de manhã, com as impressões iniciais sobre os dois primeiros jogos. Porém, a patroa me segurou em casa com minha pequena Marina, que hoje completa 10 dias de vida. Tive então a sorte de vir escrever logo hoje, um dia após uma goleada que jamais esquecerei. 6x0 sobre o Botafogo em pleno Engenhão, com show de Dodô.
As únicas saídas desse período de paternidade tem sido obviamente para os jogos do Vascão. E ontem valeu a pena. Como valeu. Dodô, Souza, Philippe Coutinho e companhia tiveram a melhor atuação do Vasco nos últimos anos, com uma goleada construída com grande futebol.
E o time jogou muito desde o primeiro minuto, partindo com tudo para cima do adversário. Logo aos três minutos, Souza roubou bola, entregou para Dodô que fuzilou de fora da área no cantinho de Jefferson. O primeiro golaço do ‘Artilheiro dos Gols Bonitos’ pelo time da Colina.
Só dava Vasco, e o bom goleiro Jefferson se virava como podia. Aos 14 minutos porém, Eduardo deu uma porrada desqualificante no nosso Souza (inveja) e foi pro chuveiro mais cedo. O Vasco trocava passes e o Botafogo batia. Inclusive o único jogador que honrou a camisa alvinegra ontem, Herrera deu uma bordoada e a torcida vascaína gritou timinho para os alvinegros.
E em três minutos o Vasco liquidou a fatura. Aos 32, Carlos Alberto cruzou, a zaga dormiu e Dodô não perdoou. 2x0. Dois minutos depois, contra-ataque, Souza rolou para Dodô que só encobriu Jefferson e saiu para comemorar. Vascão 3x0 e torcida gritando “é o poder, Dodô é o poder, artilheiro da Colina, faz mais um pra gente ver”.
Pouco depois, Carlos Alberto sentiu lesão e saiu para entrada de Magnaldinho Gaúcho. Aos 3 do segundo tempo, Fágner, o melhor jogador do Vasco nos dois primeiros jogos, também sentiu lesão e saiu para estréia de Thiago Martinelli, que foi bem ao ser improvisado na lateral.
O Vasco trocava passes e dominava o jogo como queria. Lindo de se ver eram as tabelas, dribles e lançamentos, que fazem o futebol ser gostoso e nem sempre temos a chance de assistir. Coube a um volante fazer o quarto gol. Em cobrança de falta, Léo Gago soltou uma bomba e Jefferson falhou. Também se ele mete a mão, corria o risco e ficar aleijado, tamanha a força da bomba do camisa 27.
Minutos depois, o despertar da jóia. Philippe Coutinho recebeu passe de Dodô e tocou na saída do goleiro. Primeiro gol do nosso jovem craque como profissional. O Vasco seguia trocando passes e fazendo belas jogadas. O Botafogo já tinha desistido do jogo e o Vasco procurava jogar bonito. A torcida começou a pedir a repetição dos 7x0 de 2001.
Aos 34, Rafael Coelho deu belo passe para Coutinho ter a melhor noite de sua vida, marcando seu segundo gol na goleada. Faltou um pra repetir os 7 de 2001, mas numa noite como essa, não dá pra reclamar de nada.
.
Evidentemente um 6x0 em um clássico não é feito apenas de méritos do vencedor, mas também de deméritos do perdedor. Fahel, Eduardo, Alessandro e Lúcio Flávio são os adversários dos sonhos de qualquer um, com todo respeito que sempre tive ao Botafogo.
Porém, não há como negar que o Vasco jogou muito bem. Em alguns momentos inclusive, foi excepcional. Meu sogro, flamenguista doente, disse que era pra ter sido pelo menos uns 10, tamanha a diferença dos dois times em campo.
Ontem vimos um time ofensivo, como Mancini gosta. Se vai ganhar alguma coisa, se vai manter o grupo na mão e alcançar os objetivos, só o futuro dirá. Mas ontem tivemos uma aula de tática e de armação de um time de futebol.
Sobre o que iria escrever sobre os dois primeiros jogos, adio por alguns dias, até a partida contra o Macaé, onde dará para observar melhor sem a empolgação de seis gols. Ou será que minha quinta será tão linda como meu domingo?
.
Sds vascaínas a todos!

5 comentários:

Carlos Gregorio Junior disse...

Diego, primeiro gostaria de te parabenizar pela paternidade cara. Deves estar muito feliz com a chegada dessa nova vascaína. Desejo meu parabéns para tua esposa também.

Sobre o jogo, você o descreveu muito bem. Já fazia tempo que o Vasco não joga tão bem, fazia mesmo. Me recordo que a última vez que o Vascão jogou perto disso ai foi contra o Internacional no Beira-rio no Brasileirao de 2007, não sei se vc se lembra.

O Dodô, o SOuza, o Coutinho, o Magno e todos os outros jogaram muito bem. Eu particularmente não acreditava que aquilo estava acontecenco, nunca esperava que o Vascão fosse jogar tanto no início da temporada como jogou.

Claro que como você falou, não podemos nos empolgar muito, pois o time que entrou em campo como nosso adversário, apesar da grandeza, possui jogadores horríveis. Fahel, Lucio Flávio em má fase, Wellington, Eduardo e Alessandro não podem jogar no Bota, não podem!

Mais é aquela história, azar o deles. Nós temos mesmo é que comemorar, pois se a gente não vibrar quem vai vibrar por nós? A imprensa que nem fala do resultado e da atuação vascáina? Os adversários? Vamos comemorar amigo e tirar sarro, pois ja sofremos demais no ano passado!

Abraços

Rui Moura disse...

Pois é, meu amigo, independentemente da justiça do resultado, enfrentar "Fahel, Eduardo, Alessandro e Lúcio Flávio" é o desejo de qualquer um.

PARABÉNS PELA PATERNIDADE!!!

Abraços Alvinegros!

Gabriel Valladares disse...

Tá tudo Dodôminado!

O Fogão foi humilhaDodô!

Parabéns e saudações vascaínas!

Gremista Fanático disse...

Fala garoto, eu li ontem seu texto, não deu pra comentar que eu estava na correria, fico feliz de saber que deu tudo certo ai, nome lindo de sua filha Marina, a minha se chama Isabella e já tem 3 anos, aproveita cara, é a melhor coisa do mundo, bom isso voce já deve saber né? rsrs
E que menina pé quente, chegou e o Vascão foi logo mandando de 6x0, ahuahuahuahuauham parabens duplamente, pelo nascimento e pela goleada, abraço.

Saudações do Gremista Fanático

snoopy em p/b disse...

louzada,
parabéns pela paternidade!
sem mais.

abraço