terça-feira, 1 de abril de 2008

Sem papas na língua. E com toda a razão

Ao sair do comando técnico do Vasco, Alfredo Sampaio não poupou palavras para analisar a situação em que o Clube se encontra. Ele partiu para o ataque contra Edmundo, com quem teve problemas nessa curta passagem no Vasco. Seguem as declarações de Sampaio (em azul) e minhas observações sobre elas (em vermelho):
"Falei com o Eurico no sábado que um jogador poderia atrapalhar na fase decisiva e ele era o Edmundo. Que se ele não estivesse rendendo deveria sair porque senão o time não iria chegar".
* A diretoria não deu carta branca ao treinador.
"Não quero gerar polêmica com a minha saída. Mas também não posso sair, perder a oportunidade que perdi e todo mundo achar que sou o vilão ou o incompetente. O que realmente atrapalhou o trabalho e vai atrapalhar quem entrar é a presença dele (Edmundo). O Edmundo é complicado e é difícil administrar. É um cara temperamental e acho que não cabe mais no futebol. Ele passou a carreira inteira brigando com todos os treinadores. Quando tem a resposta em campo você atura. Quando não tem a resposta em campo fica difícil. Preferia dez Romários a um Edmundo. Porque quando o Romário tem um problema com você ele fala na cara."
* Alguma mentira? Algum absurdo? E eu que achava que o Animal tinha amadurecido...
O ex-treinador do Vasco espera que a torcida vascaína "acorde" e deixe de idolatrar Edmundo como faz em todas as partidas. Para Alfredo Sampaio, o atacante é um problema no atual grupo cruzmaltino:
"A torcida do Vasco grita o nome dele todo o tempo e deveria pensar. Porque o time é um com ele e é outro bem melhor sem ele. A única partida que o Edmundo jogou com qualidade foi na estréia contra o Flamengo. E perdeu aquele pênalti decisivo. Depois não jogou mais. Teve a discussão. Tem a história do pênalti. Tem a história da falta. Ele não quer treinar e quer bater falta todo jogo. O passado de todo mundo tem que ser respeitado. Sempre fiz isso. Mas todo mundo precisa se mancar também. E que fique bem claro para a torcida que o Vasco tem um time jovem e com qualidade".
* Dentro da própria torcida já era visível a insatisfação com Edmundo, e na segunda-feira, já tinha escrito aqui sobre isso. Pelo visto, fui injusto quando disse que o treinador não tinha peito pra barrar o Animal, mas apenas obedecia a diretoria.
Alfredo também não poupou Beto, que não aceitou ser barrado, de suas críticas:
"A presença do Edmundo atrapalha porque ele está passado. E a presença do Beto também atrapalha. Espero que o Lopes acerte a equipe porque o grupo é muito legal com exceção de uma meia dúzia. Torço para que ele acerte o time. Deixei o Vasco, mas acredito nos jovens. Tenho um carinho muito grande pelos garotos. O Alan Kardec, o Alex Teixeira... E não só eles, quando falo dos garotos cito também o Morais, o Wagner Diniz. Mas não havia uma alegria. O Vasco está no caminho certo se apostar nestes garotos".
Até quando seremos reféns de jogadores em fim de carreira? Sai Romário, entra Edmundo e Beto. Quem será o próximo? Petkovic? Luizão? Vampeta? Sai treinador, entra treinador e não temos um projeto. Um rumo definido e que precisa ser seguido.
Por falta de recursos, acabamos tendo que jogar com um time de garotos, alguns promissores e com talento. Podia dar errado, mas podia dar certo. Só que isso não foi um projeto, foi um acaso. Para agradar a torcida, Eurico Miranda trouxe o ídolo Edmundo.
Os mais esperançosos, como eu tentava ser, acreditavam que ele estava mais maduro e podia servir de exemplo para jovens como Alex Teixeira e Alan Kardec. Caímos do cavalo e vimos o Edmundo se sempre, mimado, sem respeitar o treinador, se achando o dono do time. Ao não receber um passe fazia bico, botava a mão na cintura e reclamava dos companheiros. Não sabe nem bater pênalti e quer bater falta, deixando bons batedores como Tiago, Calisto e Bomfim assistindo isso.
No banco, um sedento Jean, babando por uma vaga, mas que não podia entrar no lugar do queridinho. Quando o time tava mal, o que era feito? Saia um meia ou o centroavante para a entrada de um atacante de velocidade.
Resultado disso: um futebol de baixo nível, com algumas goleadas contra times mulambos, derrotas em clássicos e quem paga o pato? O elo mais fraco, o pobre Alfredo Sampaio, que cometeu erros, como qualquer outro treinador, mas que sem dúvidas é o menos culpado dessa situação que nos encontramos.
Para o seu lugar, poderia vir um treinador como Caio Júnior, Vagner Mancini, Tite ou outros com alguma qualidade. Mas quem aceitaria treinar um time onde o presidente palpita na escalação e um ex-jogador em atividade não pode sentar no banco ou ser substituído? Ninguém, diriam alguns.
Mas no Vasco sempre tem aquele que está disponível quando o presidente precisa. Seu grande amigo, Antônio Lopes. E foi ele o escolhido, como não era nem um pouco difícil de presumir. O delegado assume o Clube pela sexta vez e em toda essa balburdia que nos encontramos tem um grande trunfo, talvez o único: saber lidar com Edmundo.
Pode parecer um pequeno detalhe, mas nesse momento é uma coisa indispensável, infelizmente. Quem sabe (duvido) Lopes possa com esse trunfo, fazer Ed jogar para o time, ajudando os garotos a explorar seu potencial.
Sei que o nome de Lopes agrada a boa parte da torcida, mas a mim não. Retranqueiro, ultrapassado, fantoche do Eurico são adjetivos que não gostaria de usar para um treinador do Vasco, mas sou obrigado a fazê-lo.
Ele já promete mudanças no time para quinta-feira. Time ofensivo? Esqueçam. Nada de quarteto, Bomfim como segundo volante, time que mais dribla no Rio... Esperem faltas e mais faltas, retranca ao fazer 1x0, volantes e mais volantes. Goleadas? Se um dia dermos uma, preparem o guarda-chuva porque o céu vai desabar.
Torço muito para que dê certo. Digo sempre que não sou pró-ninguém ou contra ninguém. Sou eternamente pró Vasco e torcerei sempre para aqueles que estejam no Clube. Gostaria de crer que dará certo e vamos assistir a vitórias e títulos, mas duvido. Duvido muito e temo pelo nosso futuro nas próximas competições.
Pessimismo nunca foi uma das minhas características desde a fundação do Blog, mas dessa vez tenho que ser realista, infelizmente. Aguardemos os próximos acontecimentos e espero que mais uma vez eu me engane e tenhamos um belo ano de 2008.
.
Respondendo aos comentários:
Munigalo - As vezes os times precisam cair para tomar vergonha. Espero que o Vasco tome antes de cair. Ah, os mercenários...Vou lá agora. Abraço!
Lais - O treinador é vascaíno, mas não sei se é dos melhores. Juntos na torcida para que cheguemos a final. Sds!
Aline - Com todas as dificuldades, Alfredo até que tentou fazer um bom trabalho. Sorte ao Lopes. Sds!
Caligula - Tempo creio que ele terá, já que é amigão do presidente. Espero que responda com um bom trabalho. Saludos!
Futeboldorio - Também não gostei.
Turano - O que eu acho? Lê ai o texto. Abraço!
Snoopy - Precisaremos de sorte enquanto vocês tem um técnico de verdade. Abraço e sds!
Vinicius - Mais uma Euricada, que deixa o Vasco na mão do seu camarada Lopes. Mais sofrimento para nós. Abraço!
.
Sds vascaínas a todos!

4 comentários:

Aline disse...

Vejo muita oposição ao Antônio Lopes... Todos dizem que ele é retranqueiro e tal, mas ele foi o técnico que mais nos trouxe títulos nos últimos anos (inclusive nosso último título em 2003). Não estou dizendo que ele é o técnico ideal para o Vasco, mas estamos precisando nos reafirmar quanto potência do futebol (pelo menos em nível estadual). E para isso, não tem jeito, só com títulos...
Então eu vou torcer muito pro Lopes nos dar muitas alegrias no comando do Vascão!
Saudações Cruzmaltinas!

gerson sicca disse...

O edmundo continua sendo encrenqueiro. foi assim no palmeiras com o caio júnior. Só q hoje compra menos briga dentro de campo.
Ídolos devem ser reconhecidos, mas tb devem ser cobrados pelo que fazem em campo. E tens razão qdo falas q o vasco não pode ser refém de jogadores, o que estraga o grupo.
De qqer forma, Sampaio, pelo menos pra mim, não é bom treinador.
Abraço

Wilson Hebert disse...

O Alfredo não deixa de ter razão nas suas palavras. O Vasco hoje é um verdadeiro calderão, e não digo o estadio não, digo os nervos mesmo, de quem trabalha no clube, agora ele nunca foi um tecnico à altura das tradições vascainas. Mas o presidente tambem não é né?!...

Abração Louzada.......

Vinicius Grissi disse...

Uma pena a situação patética em que se encontra o Vasco. Tem um elenco interessante, que poderia ser forte com alguns reforços de verdade. Ao contrário disso, o presidente manda e desmanda, quer que o técnico faça milagres, mas não o deixa trabalhar.

Também não gosto do Antônio Lopes. E você disse tudo: futebol bonito nunca foi a praia dele.

O Vasco merecia um treinador melhor. Mas quem aceitaria entrar nesta barca? Deste jeito? Nenhum outro.

Uma pena. Pode dar certo, mas é bem difícil realmente.