quinta-feira, 10 de março de 2011

Cinzas que nada. Tudo azul!

O Vasco da Gama proporcinou aos seus torcedores um Carnaval às avessas. Primeiro a tristeza e melancolia, típicas da Quarta-Feira de Cinzas. Isso em plena sexta-feira, data de início da folia. Já na quarta, uma grande festa, com casa cheia e jogo com muitos gols. Resultado: uma derrota e uma vitória, 3 pontos somados e momentaneamente fora do grupo dos classificados às semifinais da Taça Rio. No próximo domingo, duelo contra o Madureira, provável estréia de Diego Souza.
Enquanto o Gigante da Colina vencia seu jogo, um dos vascaínos mais ilustres celebrava sua glória. Beija-Flor de Nilópolis campeã do Carnaval carioca cantando e encantando ao falar do Rei Roberto Carlos, grande amante da Cruz de Malta.
Ontem a diretoria vascaína deu um Show de Harmonia. Com o time em má fase e horário ruim, promoveu uma promoção de ingressos de arquibancada a R$ 10,00 e meia a R$ 5,00. Com isso quase 10.000 pessoas foram a São Januário após uma derrota, em uma quarta chuvosa, às 22:00. A renda de mais de R$ 70.000,00 foi comparável a dos últimos jogos, mas é muito melhor ganhar a mesma coisa com a torcida lotando o estádio do que com ele às moscas.
E embalado pela torcida, o time foi pra cima do Duque de Caxias. No abafa vascaíno, o gol saiu antes dos 10 minutos, após boa jogada pela direita e chute forte de Felipe, de perna direita que não é a boa. Vascão 1x0!
Nisso a força da torcida faz diferença. Cantando muito, ela manteve o time em cima do adversário. O segundo gol demorou a sair, vindo somente aos 36. Bernardo cobrou escanteio curto, que a zaga cortou. A bola voltou nos pés dele, que cruzou na cabeça de Anderson Martins. Vascão 2x0!
Bernardo se movimentava muito e era o destaque do meio campo. Aos 44, tentou driblar o goleiro e sofreu pênalti. A torcida gritou seu nome, ele pegou a bola e cobrou com força no canto do goleiro. Saiu dançando pra torcida, que cantou o novo hit "Trem Bala da Colina". 3x0
Com o belo placar, o time foi para o intervalo aplaudido como há muito não víamos em São Januário. No retorno, Caíque no lugar de Bernardo. O camisa 20 quase marcou no primeiro minuto, com o goleiro salvando.
Porém o time deu um apagão, especialmente Fernando Prass. Em uma bola saída errada, Anderson Martins foi obrigado a fazer falta. Na cobrança, cruzamento e gol de Solia. Com apenas 5 minutos de segundo tempo, o adversário passou a acreditar no empate.
Em mais uma saída errada da defesa, Anderson Martins teve que fazer nova falta na entrada da área. Segundo amarelo e expulsão. Antes dos 30, gol de Ari, lateral do Vasco emprestado ao Caxias. O menino não comemorou.
Mais uma vez um apagão voltava a pôr um resultado em risco. Porém em mais uma das inúmeras faltas do Caxias, Felipe foi derrubado na entrada da área. Dedé se inspirou no presidente Roberto Dinamite e deu um leve tapa por cima da barreira, tirando do goleiro. Golaço!!! Vascão 4x2!
Placar definido, a torcida pôde enfim vibrar, comemorar e finalizar o feriadão com uma alegria.
.
Vencer o Duque de Caxias por 2 gols de diferença é um placar absolutamente normal. O problema maior do Vasco hoje são seus apagões. Já tinha sido assim contra o Macaé, onde o time começou bem, dormiu, sofreu dois gols e teve que correr atrás do prejuízo.
Se pegarmos 90% dos jogos entre grandes e pequenos, os grandes tiveram dificuldades. Mas o único que perdeu foi o Vasco. O time oscila demais e nessas oscilações sofre gols. O Botafogo por exemplo pena quase todo jogo, mas se salva na sorte ou na competência do monstro Jéfferson.
Não pode um time que quer e tem bola para ser campeão, sofrer 5 gols em dois jogos contra equipes menores.
A receita nós já temos. Pressão o tempo todo, ofensividade, como foi contra Americano, América e Comercial. Quem ataca não é atacado.
.
Todo mundo sabe que torço pela Beija-Flor. Nascido e criado em Nilópolis, colado na quadra, não tinha como ser diferente. E ontem conseguimos mais um título para nossa coleção, o 6º desde 2001, 12º no total.
Em minha opinião, foi o melhor desfile que assisti da Beija-Flor e antes dele acabar avisei à minha esposa que seríamos campeões com sobras.
Uma escola luta apenas contra ela mesma. Se fizer tudo direito, nota 10. Por dois anos falhamos e merecidamente Salgueiro e Unidos da Tijuca levaram a melhor. Esse ano não teve para ninguém.
Infelizmente alguns, para justificar sua incompetência, preferem falar em roubo. A única escola que mostrou algo para rivalizar foi o Salgueiro, mas infelizmente teve problemas com o tempo.
Tenho maior respeito pela Unidos da Tijuca e pelo genial Paulo Barros, mas seu desfile desse ano foi fraco, confuso e repetitivo. Levante a mão para o céu e agradeça pelo vice, que já foi muito.
Ao invés de falar bobagens, as outras escolas deveriam repetir o que dá certo. Nossa comunidade ensaia 4 vezes por semana, se entrega de corpo e alma. A cidade respira Beija-Flor nos 365 dias do ano e o resultado está aí.
Não entramos para disputar, entramos sempre para ganhar e por isso nunca ficamos abaixo de um 6º lugar. Querem nos vencer? Trabalhem muito, no mínimo igual a nós. Do contrário em breve passaremos Portela e Mangueira como maiores campeãs do Carnaval.
Meu Beija-Flor chegou a hora de botar pra fora a felicidade
Da alegria de falar do Rei e mostrar pro mundo essa simplicidade.
Ah, e como já dito, o Rei é vascaíno. Dupla alegria na quarta feira vascaína!
Fotos: Marcelo Sadio, Lancenet e Reprodução da Internet
.
Sds vascaínas a todos!

Um comentário:

Gabriel disse...

Acho que da vitória de ontem, ficarão três lições:
1- Jogando como no primeiro tempo, o Vasco vai longe.
2- jogando como no segundo tempo, vai deixar vitórias fáceis escaparem, como foi em 2010.
3- Que Jéferson NÃO pode ficar no banco para Caiaque (Caíque) jogar!

um fraterno abraço do www.apalavradoalmirante.blogspot.com