sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

Melhoras evidentes

Todo time grande que se preze precisa ter uma divisão de base forte. Além de conquistar títulos, ela precisa alimentar o time principal, se constituindo também em fonte de receita importante com a venda de jogadores, no caso de um mercado exportador como o Brasil. Com o Vasco não é diferente e após anos de poucas conquistas e poucos jogadores revelados, o Clube vem vivendo uma nova fase em suas categorias inferiores. 2010 foi um ano de bom desempenho em todas as categorias e o elenco profissional que começa 2011 é repleto de crias da casa.
No ano de 2010 voltamos a vencer um estadual de juniores após muitos anos. Naquele time, que tive o prazer de ver a final, todos pareciam em condições de jogar no time de cima. E não demorou para que jogadores como Max, Carlinhos, Renato Augusto, Rômulo, Jonathan e Nilson tivessem suas chances. Allan já fazia parte do time profissional desde 2009 apesar da pouca idade. Os que não jogaram, chegaram a treinar no time de cima como o goleiro Cestaro e o volante Elivélton, que foram para Atibaia esse ano.
O que podemos tirar de diferente, além do sucesso desse grupo é que o Vasco mudou sua política na base. Ao invés de esperar o jovem criado no Clube explodir, passou a buscar por todo o país jovens promissores. Rômulo, Jonathan e Nilson, por exemplo, são frutos desse trabalho, que inclui jogadores de idade bem inferior, que demorarão alguns anos para explodir.
De fato essa política parece correta. Não podemos achar que todo talento vai bater às portas de São Januário para uma peneira. Se o talento está lá no Piauí, ele corre o risco de se perder sem nunca ser visto por um Clube grande. Cabe ao Vasco buscar esse jovem onde quer que esteja.
Obviamente o grande talento não se encontra assim. Nossa maior promessa atual, o jovem meia Guilherme Costa é cria da casa desde muito novo e sempre tratado como jóia, como foi o caso de Phillipe Coutinho. A diferença é que esse não vamos perder tão novo.
Para um bom funcionamento da base penso que é necessário avaliação constante. Se temos um menino criado no Clube desde os 10 anos, que chega aos 16 e não tem a evolução esperada, não podemos ter paternalismo, passar a mão na cabeça, se temos outros melhores e mais determinados a ter a grande chance da vida. E assim funciona até a chegada ao profissional.
Não podemos correr o risco de segurar jovens sem condições de jogar no Vasco, pois quando chegar no profissional, a pressão será grande e a exigência também e aí não vai ter padrinho que dê jeito.
Lendo alguns 'cases' de sucesso nas divisões de base, todos falam em alimentação constante do time profissional, sempre tendo alguma quantidade de crias do Clube e substituição em caso de negociação. Se no Vasco vai dar certo, estamos começando a ver, mas é claro que existe um projeto para isso, explicado em diversas entrevistas de Rodrigo Caetano, Humberto Rocha, Jair Bragança e outros.
Como resultados de sucesso da nossa base nesse ano, podemos citar:
* Campeão estadual Sub-20
* Finalista campeonatos estaduais mirim e infantil
* Campeão Copa Light Sub 11
* Semifinalista Brasileiro Sub-20
* Semifinalista Copa Sub-23
* 3º lugar Torneio Future Champions Sub-17
* 3º colocado Copa Brasil Sub-15
Além disso, subimos 7 posições no Ranking Olheiros de Divisões de Base, tendo sido o 5º time com melhor desempenho na base em todo o país.
Uma frase de Rodrigo Caetano ilustra bem como funciona hoje nossa base: "Nós temos jogadores que alguns vão jogar no Vasco, outros não. Porém, certamente todos eles serão profissionais"
Deixo aqui o abraço para Anibal Canizio do Blog de Base, que serviu de excelente fonte de pesquisa para esse texto. Abraço também para os amigos Gabriel Dantas, lá de Manaus, que acompanha esse blog desde sempre e Jean Rosa, aqui do Rio, que sugeriu esse tema via twitter.
.
Sds vascaínas a todos!

3 comentários:

Claudio Henrique disse...

A base vascaína promete, pelo qe conquistou nesse ano, deve-se ficar de olho nos garotos.

Abraços!

http://wwwfanaticosporfutebol.blogspot.com/

Publicidade Esportiva disse...

fazia tempos q a base do Vasco n vinha sendo ser notícia na mídia...

Durante mto tempo n se ouvia falar na "base do Vasco".

Parece que agora está sendo um trabalho sério e como vc falow, n estamos naquele cotidiano de "padrinhos" e esperando um talento aparecer do nada, cair do céu e tal como foi o caso de coutinho, alex teixeira e outros...

Carlos Vascaíno disse...

Fala Diego. Blz ?
Uma base forte pode nos dar muitos craques para o futuro.

Tomara que o trabalho renda frutos.

Abçs e SV.