sexta-feira, 4 de julho de 2008

Germano eterno

Está no ar do site do movimento Guerreiros do Almirante, uma entrevista com um dos maiores ídolos da história recente do Vasco da Gama, o goleiro Carlos Germano. As perguntas foram formuladas por membros da comunidade do Movimento no Orkut e a entrevista feita no CFZ, ocasião que torcedores aproveitaram para mostrar a Germano a bandeira em sua homenagem.
Carlos Germano Schwambach Neto nasceu no Espírito Santo e chegou ao Vasco em 1985, se profissionalizando em 1991. Se caracterizou pela firmeza e regularidade, que o manteve como titular até 1999, quando saiu do clube em virtude de problemas na renovação de contrato. Esteve nas conquistas do Campeonato Brasileiro de 1997, Libertadores 1998 e cariocas de 92,93,94 e 98, além do Rio São-Paulo de 1999. Pela seleção brasileira, disputou a Copa do Mundo de 1998.
Seguem abaixo alguns trechos da entrevista, que também se encontra disponível nesse link do NetVasco:
"Não foi das mais difíceis, lógico que toda cabeçada é difícil, por não saber aonde a bola vai, pro goleiro principalmente é muito difícil esse tipo de jogada, mas foi importante. Foi importante pra todo mundo, e acredito que o homem lá em cima estava olhando e não tinha como tirar o título da gente, não" a respeito da defesa em cabeçada de Oséas na final do Brasileiro de 97.
"...de negativo mesmo acho que só esse Mundial que a torcida merecia, acho que todo mundo merecia aquele título ali, mas a gente chega lá" sobre a derrota pro Real Madrid em 1998.
"Sempre deixei claro que tinha um projeto pro Clube quando voltasse, sempre foi muito claro pra mim que eu voltasse como treinador de goleiro (...) Eu treinaria os goleiros profissionais do Vasco, durante a semana traria jogadores das categorias de base, o goleiro dos juniores, do juvenil e até o do mirim para treinar com os profissionais, aí dentro desse processo todo, além de treinar os profissionais, ficaria no clube o dia todo para participar do treinamento das categorias de base, mas só especificamente com a parte de goleiro, e tentar descobrir alguma coisa que o Vasco tem deixado um pouco a desejar, nesses 5 últimos anos, desde a saída do Fabio, o Vasco não conseguiu firmar ninguém ali (...) O projeto é justamente esse, descobrir alguns talentos na divisão de base, uns 2 ou 3 goleiros, para que o Vasco durante uns 10, 20 anos não precise contratar para essa posição. Contratar lateral, atacante, mas goleiro vai estar muito bem servido.", sobre seu projeto para os goleiros do Clube em todas as categorias.
"Eu acho o Tiago um belo goleiro, ele é novo, tem condições de ficar no Vasco durante uns 8, 10 anos, isso só depende dele (...) Acho que o Tiago tem tudo pra permanecer, e lógico que querendo, trabalhando muito, sempre com dedicação, tem muito o que crescer, mas ele tem capacidade pra isso" sobre o atual goleiro do Vasco, Tiago
"O Edmundo já é amigo desde juvenil que a gente jogava junto, eu tenho uma amizade muito forte com o Márcio o goleiro, o Tinho que jogou também, com o Leandro Ávila. Foi também por causa dos filhos, todos com praticamente a mesma idade e brincam juntos e a gente tem essa afinidade. O Edmundo, não é de hoje, é Vasco, é Seleção, a gente morava no mesmo alojamento, então tem essa amizade juntamente com esses outros que eu falei, que a gente sempre morou junto embaixo das arquibancadas lá, e fica essa coisa família, a gente se fortalece e nos momentos bons e nos momentos ruins pra você estar firme" sobre seus amigos no futebol
"Acho que é o momento do Clube também, quando você tem um elenco forte, é mais fácil subir um jogador. Por exemplo, hoje a gente falou antes do Alan Kardec, tem o Pablo ainda subindo, que é um grande jogador, na minha opinião tem tudo pra ser um dos melhores, mas acho que precocemente. Eu acompanhei o Alan Kardec na divisão de base do Vasco, no juvenil, e o Vasco foi jogar a Taça São Paulo Junior com esse juvenil, quer dizer, o Alan Kardec não passou pelos juniores do Vasco, não teve essa formação de, de repente jogar no Maracanã, uma preliminar, então tudo isso faz parte, faz parte pra você se fortalecer" sobre o aproveitamento dos jogadores vindos da base
"Quando a gente ganhou do River Plate foi uma final antecipada, embora a gente soubesse que o Barcelona seria um jogo difícil, porque lá também tem um estádio enorme pra 90 mil pessoas e você encontra dificuldades(...) no 2º tempo só deu Vasco, mas são coisas que tem que acontecer, a gente tinha tudo pra vencer no 2º tempo daquela partida (...) única bola que tinha chegado ao nosso gol no 2º tempo foi a bola do Raúl, em um lançamento onde praticamente todo o time do Real Madrid estava cansado (...) a gente voltou pra cá desanimado, foi triste" sobre a Libertadores e a Taça Toyota de 1998.
"A mensagem é sempre que o Vasco, acima de tudo, tenha o amor pelo Vasco. Pra os que vão sempre ao estádio, acho que o Clube do Vasco precisa mais do torcedor do que do próprio time. Acho que o incentivo do torcedor fora é importante, o jogo que vocês tiveram contra o Corinthians–AL, eu também assisti aquele jogo, que é daquela forma que o Vasco fica imbatível, acho que independente do time que tenha. O torcedor tem que comparecer sempre, se tiver casa cheia melhor ainda porque eu acho que o Vasco consegue, através do torcedor o Vasco tem força pra almejar uma colocação muito boa nesse nacional" mensagem para a torcida
.
Nesse domingo enfrentaremos o Figueirense em Floripa. O time será ofensivo, com Morais, Jean, Edmundo e Leandro Amaral na frente. Pablo assume a lateral esquerda no lugar de Madson. O ensaio pelo menos foi bom e os titulares venceram os reservas por 5x0 no coletivo de hoje.
.
Respondendo aos comentários:
Jorge - Que nosso desejo se torne realidade com Dinamite. Abraços!
Carlão - Que responsabilidade ele assumiu, mas terá competência pra colocar o Vasco novamente no seu rumo. Sds!
Leonardo - Mereceu a chance e agora deve honrar essa chance que foi dada.
Fábio - Esse ano também tô igual você. fra e flor que se danem...kkk. Com suas fanfarronices o churrasqueiro já está falando em ganhar o Brasileiro, mas se der mole vai parar é no olho da rua. Abração!
.
Sds vascaínas a todos!

5 comentários:

Aline disse...

Poxa, mt legal a entrevista...
Especialmente o último trecho, direcionado à torcida!

Temos vantagem contra o figueira, mas o jogo é na casa deles, e apesar de terem a pior defesa do campeonato, a nossa também é um susto ambulante...
Veremos, em busca da 1ª vitória fora de casa.
Saudações Cruzmaltinas!

Diogo Ferreira disse...

Carlos Germano realmente foi o melhor goleiro que vi jogar no Vasco. Um goleiro que podemos dizer: vascaíno mesmo.

Novos tempos!

Fico feliz por o Vasco agora ter um presidente vascaino normal e não doente como Eurico, torci por Roberto Dinamite parabéns ao Vasco por essa escolha azar nosso... pq agora é possível do Vasco crescer novamente e nos dará trabalho, e voltará a ser nosso eterno vice o que há tempos não acontece.

www.ConfionoMengao.blogspot.com

fábio gomes disse...

grande germano!
não merecia estar naquele grupo do botafogo de 2002, o pior que já vi na vida.
e foi um dos únicos que se salvaram.
carlos germano é um vitorioso.

abraço!

gerson disse...

O Carlos era um baita goleiro. Bela lembrança
Legal esse esquema da mãozinha né? Peguei do "La pelota no dobla".
Abraço

Munigalo disse...

É mesmo Diego, o Carlos Germano era mesmo um goleirão. Chegou a ter a ser convocado para a seleção...
Abraços