terça-feira, 29 de abril de 2008

Entrevistas e mais entrevistas

Nessa semana sem jogos, onde o time só treina e aguarda o próximo adversário na Copa do Brasil, não são muitas as notícias para a torcida. Especulações, treinos e concentração são a bola da vez. Sobre isso e muito mais, Eurico Miranda e Antônio Lopes deram entrevistas ontem e transcrevo aqui parte delas. Todas estão devidamente linkadas para que os interessados possam ler na íntegra.
"Em relação à concentração, vamos ampliar. Temos hoje uma concentração que nenhum outro clube tem dentro do seu próprio estádio, não falo fora. Tem uma concentração de primeiro Mundo e vamos ampliá-la na sua capacidade e dotá-la de mais condições, aumentando a sala, o auditório que será para as preleções, exibição de filmes aos atletas, dando mais condições não só de repouso, como da prática no futebol daquilo que tem ser feito fora do gramado".
"(...)O patrimônio do Vasco, que é algo que deve servir de orgulho para todos os vascaínos, é um rigorosamente nosso. Não há um pedaço, palmo de terra, uma construção que tenha sido feita, que não tenha sido rigorosamente com dinheiro nosso, o nosso suor, através dos tempos. O Vasco, o seu patrimônio, é integralmente do Vasco. Podemos dizer 'Nós temos um patrimônio'. O nosso estádio não é apenas um estádio lindo, é um nosso. O complexo de São Januário é nosso, a Lagoa é nossa, o Calabouço é nosso. As nossas sedes foram adquiridas e são rigorosamente nossas, sem qualquer tipo de contestação. Elas não foram cedidas especificamente para a construção de... para atividades esportivas. Nada, isso é nosso, rigorosamente nosso, que nós e os sócios do Vasco é que podemos decidir o seu destino. Não há ninguém que possa interferir no nosso destino, a não ser aqueles que são os donos verdadeiros do Vasco, que são os seus associados. Isso é que deve servir de orgulho para nós quando se compara, fala da situação do futebol brasileiro, toda a crise que se atravessa(...)"
"Adotamos uma política de mantermos rigorosamente em dia o salário dos jogadores e funcionários. Muitas vezes até não nos atrevemos a contratações que vão levar a uma situação de que a gente não venha a cumprir isso. Todos sabem que, já há algum tempo, nos voltamos para investimentos na nossa base, no sentido de formar jogadores em condições de participarem do primeiro time do Vasco. Isso também não abro mão. Não adianta se iludir e formar um time que no meio do caminho a gente não vai honrar com os compromissos, vai ter, sem dúvida, problemas muito mais sérios. Essa é uma política que também não abro mão, que é de manter em dia os salários"
"É uma situação quase idêntica à de 96. Talvez uma diferença é que tivemos que fazer aquele trabalho de renovação que fizemos naquela oportunidade, guindando à condição de profissional jogadores como Pedrinho, Felipe, Géder, Fabiano Eller, Maricá, Alessandro, um monte deles que acabaram vingando dentro do futebol brasileiro. Esse ano acho que a gente tem um manancial maior, temos grandes jogadores nas categorias de base, que a gente está aos poucos promovendo. Acho que há uma diferença, temos uma quantidade muito maior do que em 96. A possibilidade, logicamente, é maior para você formar craques em maior quantidade também. É esse o trabalho que tem que ser feito."
"A equipe ainda não está formada, não é aquela que a gente quer, acha que já está em condições de fazer partidas excepcionais. Mas estamos no caminho certo, trilhando esse caminho, aproveitando cada vez mais a garotada da base e trazendo... O Dr. Eurico também está vendo, dentro das possibilidades financeiras do Vasco, tentando atender pedidos de jogadores experientes para que a gente possa colocar no grupo da nossa equipe".
"Tem dois zagueiros que já estão conosco, inclusive iniciaram a participação nessa inter-temporada, o Vítor e João Paulo. São dois jogadores que já estão. E o Éder também, que é um atacante bom, esguio, que tem faro de gol. Me parece que em dez jogos ele fez oito gols. Tem uma média boa de gols, consignados. Ele é da categoria de juniores e está trabalhando conosco em cima. Estou muito satisfeito com ele, é jogador referência também, estilo do Alan Kardec. Esse também já está sendo aproveitado em cima"

"E o Carlinhos [lateral-esquerdo], que já até jogou em cima, está treinando conosco também. O próprio Gallo [apoiador], que também estava lá, o Edu, lateral-esquerdo, que já jogou em cima também está participando dessa inter-temporada. Vamos ver. Tem mais outros jogadores para a gente ir trazendo aos poucos. Tem o Igor também, que operou o joelho, fez uma cirurgia. Tenho boas referências dele. Vamos ver com o tempo, deixa ele se recuperar".
"Tem o Byro também, mas estamos bem servidos de volantes. Vamos ainda deixando o Byro por lá porque estou com esse Mateus, que gosto muito. Ele tem feito treinamentos muito bons. É um jogador bom, inclusive nesse nesse último jogo contra o Criciúma ele ficou no banco. Ele tem se revelado nos treinamentos. Acho que é um jogador que vai dar leite, muito bom, que marca bem, muito bom no alto, tem uma parte técnica muito boa - bom chute, passe e drible. Esse é um jogador que estou gostando muito também, que certamente vai ser aproveitado. Acho que futuramente pode se tornar até titular".
"O Pablo é um jogador moderno, que pode executar perfeitamente várias funções, jogar em várias posições. É um jogador que todo treinador gosta, eclético. (...) ele como segundo volante, pelo lado direito, iria bem(...)Ele tem mais ou menos aquela característica do Mineiro, um jogador que se projeta muito bem pelo lado direito, chega na área para concluir, rápido(...)Acho que é uma função boa para ele desempenhar".
"Pode se jogar com três atacantes. O Vasco jogou contra o Criciúma com três. Não sei se observaram bem o Jean como atacante pelo lado esquerdo, o Edmundo centralizado, mais enfiado, e Moraiszinho de atacante pelo lado direito(...)"
"O problema de três zagueiros... Acho que hoje em dia você tem que ter três atrás, um fundo de três atletas para compor bem o teu sistema defensivo, porque todo mundo hoje joga com dois atacantes mais enfiados(...)Estou escutando muita gente 'O Vasco joga com três zagueiros'(...)Flamengo e Fluminense jogam com três, tanto é que utilizam um volante para jogar como zagueiro também(...)O próprio Botafogo joga com três também(...)O Internacional joga com três também(...)"
.
Sobre o patrimônio concordo com o Eurico, já que apesar de pouco divulgado, o Vasco tem um patrimônio de causar inveja a qualquer clube do mundo e sou testemunha disso por ser sócio do Clube. A Sede do Calabouço, no Centro do Rio é de uma beleza impressionante, bem como todo Complexo de São Januário e o fato de ter sido tudo construído com dinheiro e esforço próprios só nos enche ainda mais de orgulho.
Manter os salários em dia deveria ser uma obrigação de todos os clubes, mas no Brasil poucos são os que cumprem com esse dever. Pesquisem e verão. O Vasco mesmo em outros tempo andou atrasando ou não pagando e hoje ainda cole os frutos dessas dívidas.
Sendo assim, para honrar seus compromissos, o Clube acaba priorizando a base e jogadores oriundos de times menores. Felizmente, nossa safra é excelente e a quantidade de jogadores de grande qualidade é de dar esperanças à torcida.
Temos nomes de futuro em quase todas as posições, desde a lateral direita até o centroavante, partindo de Renato a Éder, passando por nomes como Vitor, João Paulo, Pablo, Carlinhos, Edu, Byro, Mateus, Gallo e chegando ao craque Igor, que lembra o estilo de Messi.
Com a ajuda de alguns nomes experientes esse time pode dar muita liga e podem me cobrar por esses que citei o nome.
Sobre o esquema, na análise do jogo contra o Criciúma comentei de que Morais e Jean atuaram abertos pelas pontas, voltando pra ajudar na marcação, o que foi muito positivo para o time. Quanto aos três zagueiros, nada a acrecentar ao que o Lopes disse, apenas fazer a ressalva de que há ocasiões em que se pode tirar um dos três, como no segundo tempo do jogo contra o Criciúma em São Januário.
.
Respondendo aos comentários:
Arthur - Vira essa boca pra lá, mas que tem muito encrenqueiro junto tem...faltou o Beto ai
Carlão - Que o sucesso do Cruzeiro se repita aqui no Vasco. Abraços!
Diogo - O Landu tá meio discípulo do Edmundo nas polêmicas e espero que dentro de campo chegue pelo menos perto do Animal. Quem manda no Rio? O governador. Qual o time dele? rsrs. Abraço!
Munigalo - Que suas lembranças do Landu sejam boas e ele arrebente aqui. Abraço!
Felipe - A estratégia pode dar certo, mas nos jogadores que citou eram jovens enquanto o Landu já tá com 29. Obrigado!
Saopaulina - Desconhecidão esse cara, mas vai dar certo. Tudo bem sim. Beijinhos! =D
Vinicius - Pelo visto a galera mineira lembra bem do Landu. Boa opção para contra ataques e pro segundo tempo pelo visto.
Fernando - Igual ao Valdiran nãoooo! Com o Lopes, o Animal deve mesmo ser centroavante e vai precisar de garçons, como Jean e Landu. Que dê certo como Nasa e Odvan por quem ninguém dava nada. Abraço!
.
Sds vascaínas a todos!

4 comentários:

Diogo Ferreira disse...

Discurso do Tudo nosso. É tudo nosso, pois é tudo nosso. Puramente balela. Os salários em dia concordo com você deveria ser uma obrigação. O Vasco investe mal ,convenhamos, meu pai é vascaíno sempre afimar isso. Ontem foi aqui no blog mesmo anunciado o Landu Quem?! A política de contratação de jogadores desconhecidos é antiga, seja para supreender o adversário ou gerar lucros num futuro. Porém, eu já cansei de ouvir falar se é caro mais é bom vale a pena, o Vasco poderia pensar nisso, sinto saudade da sua vice-liderança deixou para o Botafogo?!

Respondendo:
O Ronaldo tem o gosto dele, acredito que ele não precisa de travesti,mas ninguém sabe né, cada um com sua mania.

Diego Louzada disse...

(Diogo)
Adiantando a resposta: Sobre o discurso do tudo nosso, soa como política do Eurico, mas não e balela pois se compararmos o patrimônio do Vasco com os outros clubes do Rio veremos a diferença com ainda o mérito de que nada, absolutamente nada, foi doação ou empréstimo do poder público, como os casos do terreno onde fica a Gávea e o estádio do Engenhão.
Enfim, assunto pra debates infinitos mas que considero motivo de orgulho imenso que não vêm de hoje, mas de toda a história centenária do Vasco.

Sobre a política de contratações há estratégias e estratégias, que podem dar certo ou errado.
Veja o time do Cruzeiro: tá bem na Libertadores e vai ser campaão mineiro com um elenco jovem e sem estrelas. Ou alguém conhecia Ramires e Marcelo Moreno até o ano passado?
Já o Fluminense é formado por um bando de mercenários e já saiu no estadual, perdendo para um time do Botafogo sem estrelas, mas com muito comprometimento.
Falar sobre como montar um time geraria bastante debate, mas resumiria em algumas hipóteses:
1) Time com mais nome com aporte de investidor - Palmeiras;
2) Investir em jogadores de pouco nome e jovens com potencial - Cruzeiro;
3) Trazer jogadores sem mercado no exterior por empréstimo somados a alguns valores razoáveis do mercado interno - Flamengo.
Hoje ninguém mais compra jogador, não há capital para isso e montar um time bom exige além de criatividade, um pouco de sorte.

Diogo Ferreira disse...

É tem razão de se orgulhar mesmo, até eu me orgulharia, meu time já está a 90 anos querem um estádio uma hora sai.

O mercado hoje é favorável aquele que tem mais dinheiro, isso ninguém discorda. Sou a favor de um time mesclado ou apenas com um jogador de peso, aqui em casa, nós debatemos sobre futebol,vira e mexe alguém comenta:
- Mas você acha que o jogador que ganha menos irá correr para o que ganha 100 mil?! Tem um pouco de lógica.
Um time tem que ter um teto e não fazer como o Flamengo em 99/2000 acho que foi essa época que trouxemos: Alex, Denilson, Edilson, Petkovic etc. A famosa Sele-Fla com isso ainda falimos a ISL (empresa que nos patrocinava).
A atual diretoria do Flamengo está procurando manter os pés no chão e não fazer aventura. Pegamos jogadores machucados,afastado dos gramados por punição como foi o caso do Kléberson e ex-jogadores que mostraram algum potencial Rodrigo,Fábio Luciano etc, o que não deixa de ser outra tática, consertamos eles e os colocamos para jogar. Investimos em centenas de volantes pra nada.

Acho que é só isso hehe,

www.ConfionoMengao.blogspot.com
Saudações Rubro Negras,

Diogo Ferreira

Vinicius Grissi disse...

Realmente o Vasco tem um patrimonio interessante, e construído pelas próprias forças. Isto é bem interessante.

Agora, acho um absurdo dirigentes se vangloriarem porque pagam os salários em dia. Se o seu vizinho mata alguém, você vai falar que é ótimo porque nunca matou ninguém?! Obrigação e nada mais...